Bem vindo ao Anti-Religiosidade!

Combatendo heresias e compartilhado o amor e unidade do Evangelho,

sem estruturas, hierarquias ou complicações.







Os valores foram e continuam sendo trocados.
No mundo?  Não… Na igreja.
Lá, a justiça ganhou ares de restituição e como no velho testamento, está sendo aplicada por quem manda e ainda, obedecida por quem obedece sob a pena de estar fora da “visão” e da “benção” que tem abençoado aos lideres(só não se dão conta de que a tal “benção” não vem de outro lugar a não ser seus bolsos).
E não ganham nada estes pobres seguidores de classe média e alta (porque sem dúvida, os inferiores, livres da cobiça terminam sendo salvos de tal engano).
Não ganham nada estes esquecidos do sermão do monte… A não ser, é claro, a ideia de alienação que parece alimentá-los; de poderem  vir a conquistar tudo o que seu pastor, o cantor e a… Bom, tem tanta nova profissão gospel que fica difícil até nomear. Mas o fato é de que no final das contas, não ganham NADA. Bem diferente de seus lideres, cujo único problema é o de terem se acostumado a ganhar em todos os sentidos e a não querer parar…
E eu, como você já deve ter notado estou aqui mais uma vez (embora adiante bem pouco), para falar contra tudo isso e contra o que eu sempre falo e poucos dão ouvidos por motivos óbvios.
E por mais que eu deixe de lado estes responsáveis por esta “chacina” nos ideais cristãos, o mundo evangélico continua a caminhar a passos largos para um precipício, talvez na triste esperança de que Jesus esteja lá, no fundo do “lago negro” a que denominam de “Vitória da igreja”…
Só pra lembrar, a igreja que tanto insiste em sustentar este título de “precursora” da Vitória, não se deu conta de que vitória mesmo foi na Cruz e esta mesma cruz deixou metas que a quase dois mil anos se perderam(salvo os que,  como  os membros da igreja primitiva, também hoje preferem ver seus corpos como luzeiros a fim de iluminar a mente dos que dentro da mesma “igreja” estão tão mortos quanto os que não conhecem a Deus).
Alienação faz coisas que até o diabo se assusta… Já, Deus? Bom, este só se entristece.
A grande prova é que por mais que acusações sejam feitas e provadas, por mais que o mundo esteja escandalizado e a igreja esteja sendo a grande “chacota” do universo, ao mesmo tempo em que o mundo, em sua evolução e talvez por seu sofrimento, esteja, em boa parte, muito mais próximo do ideal deixado por Jesus, do que ela que, ainda, combate o pecador e ensina aos seus, como ser uma “raça eleita” e orgulhosa de si mesma como Israel do antigo testamento.
Não há dúvidas; por mais que existam nesse meio, pessoas que dariam suas vidas para não envergonharem o nome de Cristo, estão de vento em popa, os trabalhos de alienação na maior parte das igrejas. É tanto encontro de “Mulheres” disso, “Mulheres” daquilo, que eu até entenderia se na mesma proporção, homens fossem ensinados a serem Homens de fato; como pais, maridos ou simplesmente Homens de caráter que honram  palavras antes das suas “calças” Homens que sejam “presentes” em questões que vão muito além do machismo e do moralismo a que a igreja se confinou.  Artifícios como os tais encontros femininos e outros, nunca trouxeram nada de relevante ao mundo, como a simplicidade e a abrangência dos capítulos 5,6,e 7 de Mateus.  Então, por que de tanto evento? Por que tanta desculpa já que o mundo não tem sentido de fato, o perfume original de Cristo?
É muito: “Eu decidi esperar” Pra pouco: “De coração eu espero ou faço qualquer coisa”.  É muito “engano” servindo de “canal de humor” para o resto do mundo, enquanto a igreja como “louca” insiste em viver na “proteção” de seu “mundinho pseudo-israelita”, em que tudo se resolve de uma maneira mimada sob a proteção da “torá evangélica”.
É muito para a minha cabeça… Aliás, para cabeça de muitos, dentro e fora deste mundo insano e interesseiro que virou a igreja no Brasil e em boa parte do mundo.
Que existem os que nada tem a ver com isso é claro, mas sem dúvida, é à outra parte que este  texto é direcionado; à parte “ruim” do balaio; À parte que nem Jesus, em um momento que o judaísmo envergonhava o nome de Deus, deixou de acusar.
Por falar nisso, a situação em nada é diferente daquela época:
A igreja hoje em um mundo sitiado pela maldade, ainda faz acordos vergonhosos e se vende despudoradamente.  A quantidade de “desigrejados” à procura de “João Batista” nos desertos, por conta dos usurpadores no templo, cada vez mais, aumenta…
Diante disso, não restam dúvidas:
Se Jesus viesse hoje, da mesma forma em que veio no passado, seria morto sem piedade pelos vergonhosos evangélicos…
Apesar d’eu ter a nítida impressão de que ele já veio e já ter sido expulso de lá…
Por isso, ELE está nas ruas.


Por Rogério Ribeiro.